03/08/2012

Paciente


8 comentários:

  1. Enquanto isso, na realidade paralela.

    ResponderExcluir
  2. Não entendi. Alguém pode explicar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É simples: A graça da tirinha está, assim como na maioria das outras tirinhas do Marco, na subversão das expectativas. A subversão dele funciona assim: Nos dois primeiros quadrinhos ele te apresenta um cenário sobre o qual um monte de coisas podem ser deduzidas, como por exemplo naquela tirinha onde nos dois primeiros quadros tem um par de homens feios falando sobre futebol e churrasco com cerveja, a partir desse cenário a gente já deduz logo de cara que são homens típicos e heterossexuais, mas somos surpreendidos quando vemos no ultimo quadrinho que se tratam na verdade de um par de travestis. Essa é graça de quase todas as tirinhas do Marco: Ser surpreendido ao ver as suas.
      -
      Sabendo disso já fica fácil qual é a graça dessa tirinha aí. A graça dessa tirinha está em primeiro nós sermos apresentados a uma sala vazia (de pessoas) onde um sujeito fora da nossa visão chama por alguém, por se tratar de uma sala vazia nós supomos que o enunciador é uma pessoa maluca que está falando sozinha, mas somos surpreendidos no ultimo quadrinho ao perceber que uma das cadeiras desapareceu da cena, dando então a entender-se que o enunciador não era um louco e que ele estava falando com as cadeiras que estavam vivas e que podiam sim atender ao seu chamado.

      Excluir
    2. Eumesmopo - Você fez a tirinha perder a graça ¬¬

      Excluir
  3. Queria ter a paciência do Eumesmopo...haha

    ResponderExcluir
  4. cada cadeira tem uma enfermidade, e a que sumiu tem um pau bem no meio das pernas.

    ResponderExcluir